sábado, 22 de julho de 2017

Análise de Conjuntura, mudanças na CLT e Previdência Social são temas do 10º Congresso dos Radialistas em seu segundo dia

Mesa de apresentação de análise da conjuntura nacional e internacional 


Por Ronaldo Werneck


No segundo dia do 10º Congresso do Radialistas as mesas temáticas tomaram o dia. Na parte da manhã, a apresentação contou com a mediação do diretor Sérgio Ipoldo e participação do diretor coordenador da Federação Interestadual dos Trabalhadores em empresas de Rádio e TV José Antonio de Jesus, do membro da direção da Intersindical Mané Melato e por Mateus Nunes, membro da União Juventude e Rebelião.

Cada apresentação pontuou os acontecimentos políticos atuais que tem atingido a classe trabalhadora. Alguns fazendo resgates históricos, que revelam uma relação evolucionária das questões econômicas em desenvolvimento em nível mundial.

Apresentação do Juíz Souto Maior foi no período da tarde

No período da tarde o congresso contou com duas mesas, a primeira com o juiz Souto Maior apresentando "Quais os impactos para a Classe Trabalhadora com as mudanças na CLT" a segunda mesa temática da tarde "A Previdência Social e o Trabalhador do futuro". 

A abordagem de Souto Maior foi criticar a rapidez e sem a discussão necessária com a sociedade, para aprovação de uma reforma trabalhista que revelou-se ser incompatível com o conjunto da CLT. 

Na segunda mesa os convidados foram Rita Pinto servidora aposentada do INSS, membro da oposição do SINSPREV e Arnaldo Marcolino, membro do Conselho Estadual de Saúde e ex-dirigente sindical do Sindicato dos Radialistas, contribuíram, cada um com seu conhecimento em suas áreas. 



Mesa com participação de Rita Pinto e Arnaldo Marcolino

Já, na segunda mesa, Rita se destacou em sua apresentação, pois como é especialista na área previdenciária, revelou situações que incomodaram os presentes devido a gravidade com que o governo impõe medidas para impedir a aposentadoria do trabalhador e de como o desmonte do INSS tem avançado com rapidez.

O 10º Congresso dos Radialistas no estado de São Paulo segue amanhã com os delegados debatendo Plano de Lutas, em que a categoria deve usar com referência na defesa de suas conquistas e na organização para vitória de outras.

O Sindicato dos Radialistas no estado de São Paulo realiza seu congresso estadual a cada três anos cumprindo o estatuto da entidade.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Abertura do 10º Congresso Estadual dos Radialistas acontece em São Paulo nesta sexta feira (21)

Imagem: febc.org - Trabalhadores sindicalizados de Rádio e TV participam do evento

Por Ronaldo Werneck

Na próxima sexta feira (21) radialistas de todo estado, eleitos em assembleia, estarão participando do 10º Congresso Estadual dos Radialistas no estado de São Paulo. O evento será realizado na sede da entidade, com início a partir das 19h.

Sob constantes ataques, os trabalhadores agora se deparam com o esfacelamento das leis trabalhistas, tendo como protagonista disso um governo ilegítimo, que acelera os ataques a legislação trabalhista e previdenciária.

"Análise de Conjuntura", "Previdência Social e o Trabalhador do Futuro", "Quais os impactos para a Classe Trabalhadora com as Mudanças na CLT" e "Qual o papel da Mídia?", são os temas que serão discutidos pelos congressistas. Será discutido também o Plano de Lutas, que aponta para os trabalhadores medidas de contenção aos ataques aos direitos e até o planejamento para conquista de outros. 


Cartaz com temas do 10º Congresso Estadual dos Radialistas

O congresso da categoria dos trabalhadores é sua estância máxima. É como se fosse a "assembleia das assembleias". Nela os delegados, eleitos por trabalhadores sindicalizados em assembleia, se reúnem para discutir, debater, entender a situação em que se encontram os radialistas, na ordem vigente, e planejar suas lutas de resistência e conquistas. 

Do evento é produzido um documento que se torna referência para direção da entidade como para os trabalhadores da categoria, de como devem conduzir sua luta de classe. Estar cientes de toda iniciativa e do que os trabalhadores decidirem, é estar preparado para defender seu emprego, sua profissão e sua classe social.