domingo, 26 de fevereiro de 2017

Radialistas de São Paulo abrem Campanha Salarial em assembleia estadual no próximo sábado (4)




Por Ronaldo Werneck


No próximo sábado (4) o Sindicato dos Radialistas no estado de São Paulo realizará a abertura da Campanha Salarial em assembleia estadual. Todos os trabalhadores de empresas de Radiodifusão, Televisão, produtoras e canais de TV por assinatura estão sendo convocados para participarem da elaboração da pauta de revindicação que será levada aos patrões para negociação.

Os trabalhadores do interior tem garantido sua presença através de caravanas, organizadas pelos dirigentes sindicais da entidade, através das subsedes do Sindicato dos Radialistas no interior do estado. Para participar, entre em contato com algum representante do sindicato e verifique a possibilidade de você e colegas de trabalho poderem vir juntos.

Para saber mais sobre como se deslocar junto com uma das caravanas do interior, basta entrar em contato com um dos diretores do sindicato de sua região. Neste link você tem acesso a relação de nomes e formas de contato com um desses diretores. Transporte e refeições são por conta da entidade, para os trabalhadores da categoria. 

Não deixe para última hora, troque sua escala de trabalho ou aproveite sua folga para ir participar. Só a presença de muitos trabalhadores é que contribuirá para que possamos animar a disposição de luta.



Assembleia Orçamentária

Também será realizada No dia 4 de março, a Assembleia Orçamentária. É nela que a direção da entidade faz sua prestação de contas do ano que passou. Na assembleia são apresentados números em relação a arrecadação financeira e os gastos efetuados pela direção da entidade, na sua manutenção e funcionamento do Sindicato. As despesas relacionadas à luta em defesa e conquista de direitos também serão objeto de discussão.

Quem participa da Assembleia Orçamentária?
Somente sócios podem participar. Os sócios reunidos nesta assembleia serão informados dos gastos que aconteceram no ano de 2016 e da previsão orçamentária para o ano de 2017. Tanto a prestação de contas, bem como a previsão orçamentária, com os indicativos de gastos, devem passar por votação para que seja aprovado pelos trabalhadores sindicalizados.



Assembleias regionais no interior do estado iniciam a construção da assembleia estadual






Por Ronaldo Werneck

Na próxima semana, nos dias de quarta (01), quinta feira (02) e sexta feira (03) de março, os trabalhadores de rádio, TV, produtoras e canais de TV por assinatura no estado de São Paulo estarão se reunindo em assembleias regionais para discutirem propostas a serem enviadas para assembleia estadual da categoria, que deve acontecer no próximo sábado (04).  

As regionais do Sindicato dos Radialistas no estado de São Paulo estão nas cidades de Araçatuba, Bauru, Campinas, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto e Taubaté estarão recepcionando os trabalhadores radialistas de suas respectivas regiões para discutirem propostas, que deverão ser encaminhadas para assembleia estadual em São Paulo. Quem estiver presente numa das assembleias regionais e quiser participar da assembleia estadual, poderá, no dia, reservar seu lugar no transporte, que levarão todos os inscritos para São Paulo, onde está a sede do Sindicato dos Radialistas, local onde será realizada a assembleia estadual.

Verifique as assembleias que irão acontecer no interior do estado para poder participar; 

- Araçatuba
Subsede Sindicato dos Radialistas
Dia 01/03 às 14h00
Rua Euclides da Cunha n. 237 
Vila Bandeirantes

- Bauru
Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Bauru 
Dia 01/03 às 19h00 
Rua Bandeirantes n. 12-50
Bairro Centro

- Campinas
Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas 
Dia 02/03 às 17h00
Rua Doutor Quirino n. 560 
Bairro Centro  

- Presidente Prudente
Subsede Sindicato dos Radialistas
Dia 01/03 Ás 19h30
Rua Wenceslau Brás n. 08 sl 14
Vila Euclides

- Ribeirão Preto
Subsede Sindicato dos Radialistas
Dia 03/03 às 14h00
Rua Álvares de Azevedo n.432
Vila Tibério

- Santos
Sindicato dos Metalúrgicos de Santos
Dia 03/03 às 19h00
Av. Ana Costa - n 55 
Vila Mathias

- São José do Rio Preto
Círculo Operário de São José do Rio Preto
Dia 01/03 às 19h00
Rua Doutor Luiz Américo de Freitas n. 65
Vila Ercília

- Taubaté
Subsede Sindicato dos Radialistas 
Dia 02/03 às 10h00
Av. Vila Rica n. 27, sala 04
Bairro Estiva



quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Radialista e dirigente sindical é reintegrado ao trabalho na Rádio Nova Sumaré

Foga (a esquerda) e dirigentes sindicais em apoio a sua reintegração ao trabalho

Por Ronaldo Werneck

Por determinação judicial da Vara do Trabalho da cidade de Sumaré, interior de São Paulo, José Luís Foga foi reintegrado ao trabalho nesta quarta (22), às 11h00, na Rádio Nova Sumaré AM.

Por ser dirigente sindical Foga tem estabilidade no emprego, fato este não observado pela direção da empresa que, ao longo de alguns meses, reiteradas vezes, emitiu advertências ao seu funcionário e também dirigente sindical, com a intenção de justificar uma demissão, sem justificativas.

A reintegração foi acompanhada de dirigentes sindicais do Sindicato dos Radialistas no estado de São Paulo, na qual Foga é integrante, de sindicalistas e do movimento social e político da cidade e região.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Justiça determina imediata reintegração de radialista e dirigente sindical na Rádio Nova Sumaré sob pena de multa de R$ 1 mil por dia

Por Ronaldo Werneck

A juíza Laura Bittencourt Ferreira Rodrigues, da Vara do Trabalho da cidade de Sumaré, interior de São Paulo, determinou a imediata reintegração ao trabalho de José Luís Foga, sob pena de R$ 1.000,00 por dia, após o Sindicato dos Radialistas no estado de São Paulo impetrar ação jurídica de reintegração. Foga, dirigente sindical da entidade e funcionário da Rádio Nova Sumaré AM, na função de operador de rádio, foi demitido pela direção da empresa após a empresa imputar  diversas advertências na qual se caracteriza como perseguição política. Equívocos na confecção da escala de trabalho, que é responsabilidade da emissora, comparecimento  na Rádio no período de férias e advertência por tentar fazer ressalva em advertência que discordou, demonstra o quanto a direção da empresa estava movida em determinar sua demissão. 

Foga relatou que nunca passou por essa situação antes. "Estou na empresa desde 93 e notei essa diferença de tratamento de um período para cá", relata.

A juíza não reconheceu os argumentos utilizados pela empresa por sua demissão. Funcionário há mais de vinte anos e dirigente sindical a quase dez, Foga milita no movimento social e político da cidade de Sumaré. Comparece com regularidade na Câmara de vereadores da cidade, para acompanhar o trabalho dos vereadores, participa das atividades desenvolvidas pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e região, além de apoiar a ocupação da Vila Soma na cidade de Sumaré. Por isso é reconhecido pelos trabalhadores e pela sua comunidade por seu compromisso de classe e pela luta pelos radialistas. 

O sindicalista e trabalhador da Rádio Nova Sumaré AM espera ter o apoio de todos em sua reintegração, que deve ocorrer nesta quarta feira (22), as 11h00 da manhã, onde a direção do Sindicato dos Radialistas e seu departamento jurídico se fará presente. 

A batalha por evitar mais uma tentativa do patronal em constranger e impedir a organização dos trabalhadores foi vencida, mas a luta continua.

Firme Foga!




segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Bloco do FuÁ anima e protesta nas ruas de São Paulo


Arte Rosane Almeida

Por Ronaldo Werneck

Fevereiro chega e o carnaval aponta, ali na esquina. Sim, eles estão lá, se preparando, se organizando, sambando e cantando as alegrias e tristezas da vida do brasileiro. O carnaval de rua, essencialmente os blocos carnavalescos, reproduzem fielmente a vida e a cultura do brasileiro e o Bloco do FuÁ já está com seus "motores" funcionando. 

Com o tema "Onde as Minorias são a Maioria; Negras, Mulheres, LGBTs, Nordestinas, Imigrantes e Refugiados...", o FuÁ irá exaltar e criticar a forma como as minorias são tratadas no Brasil. Músicas, letras, adereços, artes do bloco serão alusivos ao tema. 

Nesse ano o FuÁ irá homenagear o ator, dramaturgo e morador do Bixiga, Sérgio Mamberti, que estará presente no desfile, no carro de som. 

Foto reprodução. Sérgio Mamberti

O Bloco do FuÁ, criado em 2012 veio reforçar os blocos carnavalescos comprometidos com samba de qualidade, com temas sociais e também com as marchinhas, que tanto  animaram nossos pais, avós e bisavós. Algumas marchinhas, tocadas pelo bloco, são de composição de seus componentes, que tocam ao vivo durante o desfile, com banda e percussionistas próprios,  pelas ruas do bairro.

Apesar de ter nascido em 2012, o Bloco do FuÁ já é tradição em São Paulo. Suas concentrações e ensaios já fazem parte do calendário carnavalesco de São Paulo e são divulgados pela mídia paulistana. Neste ano os ensaios continuam, gratuitamente, no Sindicato dos Radialistas na Rua Conselheiro Ramalho n. 992 e no Al Janiah, que fica na Rua Rui Barbosa.

Uma inovação deste carnaval promovida pelo FuÁ será a utilização de material reciclado ou reaproveitado para confecção de adereços, estandartes e a decoração do carro de som. Todo esse material são trabalhados pelos componentes do bloco, com a supervisão dos artistas plásticos Nelson Alvim e Paulo Aliende.

Cortejo será no dia 26/02/2017 - domingo de Carnaval - GRATUITO.


Traga um quilo de alimento não perecível ou produtos de higiene pessoal, que serão doados à CASA 1, que é um Centro de Acolhimento e de  Cultura LGBT gratuito, para as pessoas que foram expulsas de casa por causa de sua orientação sexual.

Serviço:
Bloco do FuÁ - Carnav­al 2017
Tema: " Onde as Mino­rias são a Maioria; N­egr@s, Mulheres, LGBT­, Nordestin@s, Imigra­ntes, Refugid@s...
Nos vocais da banda com: Cida Lobo, Cla­udia Santana e João L­uís Correa. A direção­ dos vocais é de Cida­ Lobo.
Nos sopros: Juruna e­ Marcio Miele
Nas cordas: Nadir ( c­avaco) e Edinho Olive­ira ( violão e guitar­ra ) os arranjos são ­dele também bem como ­a direção musical. 
Cortejo: dia 26/02/201­7 domingo de Carnaval­ - GRATUITO
Concentração: às 16h­ rua Conselheiro Rama­lho 992 - saída as 18­h
Dispersão: Praça Dom­ José Gaspar
Trajeto: ruas: Conse­lheiro Ramalho, Manoe­l Dutra, Major Diogo,­ Santo Antonio, Marti­nho Prado, Nestor Pes­tana, Araújo, avenida­s Ipiranga e São Luís­ finalizando na praça­ Dom José Gaspar às 2­2h
Logo : uma boca­
Cores: Vermelho, Bra­nco e Preto
Caminhão de Som: Tri­o Bala com 40.000 watts de potência
Foliões: 5.000 - Cin­co mil




sábado, 11 de fevereiro de 2017

Trabalhadores da TV Marília arrancam, na força da greve, salários, décimo terceiro atrasados e o não desconto dos dias parados

Trabalhadores e diretores do Sindicato dos Radialistas no estado de São Paulo


Por Ronaldo Werneck

Encerrou nesta sexta (10) a greve dos trabalhadores da TV Marília após a realização dos pagamentos de salários e décimo terceiros atrasados aos trabalhadores que estavam em greve. 

Foram necessários cinco dias para que a direção da empresa se organizasse, atrás de recursos, para realizar os pagamentos. Em meio a greve a empresa tentou negociar a volta ao trabalho, mesmo que parcial, o que foi recusado pelos trabalhadores, já que não houve apresentação de uma nova proposta de pagamento. 

Radialistas e Jornalistas cruzaram os braços depois de diversas semanas de tentativa de negociar os pagamentos atrasados, que vinham sendo realizados de forma parcial desde outubro do ano passado. Restou, então, a greve, que é um instrumento de luta dos trabalhadores para defesa e conquistas de novos direitos. 

Mesmo conquistando o pagamento do décimo terceiro e salários atrasados, de todos os trabalhadores em greve, alguns deles, que haviam sido dispensados e/ou pediram demissão antes do início do movimento, foram informados que suas verbas rescisórias só seriam pagas conforme fossem sendo realizados os pagamentos de salários dos trabalhadores, que estão na empresa. O que foi prontamente recusado pelos trabalhadores, que no caso são jornalistas, e pelo Sindicato dos Radialistas no estado de São Paulo, que acompanhou a greve. 

Como os trabalhadores nesta situação pertence a categoria dos Jornalistas, esta questão foi encaminhada para a direção desta entidade, que em breve estará se reunindo com a direção da empresa para tratar do assunto.

A empresa se utiliza de forma ilegal de estagiários do curso de Publicidade e Propaganda para realização de funções regulamentadas, além do descumprimento de diversas cláusulas da convenção coletiva da categoria, bem como da Lei do Radialista. Por essas questões e outras, a direção do Sindicato dos Radialistas no estado de São Paulo deverá fazer contato com  a direção da empresa para regularização da situação.



terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Em greve, trabalhadores da TV Marília recusam proposta apresentada pela empresa

Trabalhadores e dirigentes sindicais da TV Marília, canal 4

Por Ronaldo Werneck

Os trabalhadores da TV Marília, canal 4, recusaram proposta apresentada pela empresa para terminar a greve movida pelos trabalhadores com apoio do Sindicato dos Radialistas de São Paulo.

Nesse breve período de paralisação, a empresa apresentou uma "nova" proposta que não diferenciava das que já foram apresentadas e recusadas. Por isso, os trabalhadores decidiram a continuidade da greve até que uma proposta satisfatória seja apresentada.

Radialistas e jornalistas da empresa estão em greve desde segunda feira (6) para terem seus salários pagos. A empresa não vem pagando os salários regularmente desde outubro do ano passado.
Somado ao problema de salários atrasados, os trabalhadores também não tem seus tickets pagos e nem a  e participação nos resultados. Benefício este que faz parte, há anos, da convenção coletiva da categoria.

A greve não tem prazo para terminar até que a direção da empresa apresente uma proposta satisfatória.

Desde o ano passado os trabalhadores vinham advertindo a empresa em relação aos problemas dos trabalhadores. Com contas atrasadas e dificuldades na compra de alimentos, o último recurso foi a greve, que segue na cidade de Marília, interior de SP, com a presença de diretores do Sindicato dos Radialistas.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Nota de falecimento do radialista Paulo Roberto Cosso

Paulo Roberto Cosso


Com informações de Regional News e O Diário

Faleceu na manhã de sábado (4), aos 62 anos, o radialista  Paulo Roberto Cosso, que por muitos anos atuou no rádio transmitindo jogos do Barreto Esporte Clube pela Rádio Independência de Barretos. 

Cosso deixa mulher e filho. O corpo está sendo velado no velório municipal da cidade de Barretos e o corpo será enterrado neste domingo (5), às 11h00, no Cemitério Municipal.

A diretoria do Sindicato dos Radialistas e seus funcionários envia condolências aos amigos, colegas de trabalho e familiares.

Paulo Roberto Cosso, presente! Agora e sempre.


sábado, 4 de fevereiro de 2017

Trabalhadores da TV Marília decretam greve por pagamentos atrasados


Logo TV Marília

Por Ronaldo Werneck


Na última sexta feira (3), os trabalhadores da TV Marília, canal 4, da cidade de Marília, interior de São Paulo, em assembleia aprovaram greve por tempo indeterminado, por não aceitarem a proposta apresentada pela direção da empresa para parcelamento de salários atrasados.

Desde outubro do ano passado os trabalhadores do canal, vem sofrendo com pagamentos parcelados e atrasados. 

Mesmo fazendo suas jornadas de trabalho regularmente, a empresa não vem cumprindo suas obrigações. Além dos salários atrasados, o não pagamento dos tickets se junta ao descompromisso da empresa com seus trabalhadores.

Dado o prazo legal, que se encerra neste domingo (5), às 23h59 os trabalhadores cruzam os braços. O Sindicato dos Radialistas do estado de São Paulo estará presente, acompanhando a luta dos trabalhadores por seus direitos.



quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Patrões de Rádio e TV recusam proposta do TRT e dissídio segue, sem data de julgamento

Emissoras de TV

Por Ronaldo Werneck

Ontem (31) foi a data limite, proposta pelos patrões, para responderem ao TRT em relação ao que o Tribunal propôs para fechar acordo. E, como esperado, os patrões recusaram a proposta da Justiça, apostando na paciência da categoria. 

Em comunicado aos seus filiados, o sindicato patronal orienta as empresas do setor concederem antecipação salarial até o limite proposto pela direção da entidade. Mas isso só ocorreu depois de pressão feita pelo Sindicato dos Radialistas na porta do SBT, que quebrou a unicidade das empresas, reconhecendo a necessidade do reajuste.

Sem a mobilização do conjunto da categoria, os trabalhadores seguem com intensos ataques aos seus direitos. 

No interior do estado surgem princípios de mobilização, onde o Sindicato dos Radialistas acompanha de perto. 

Para lembrar;

Na audiência no TRT em dezembro, sem o acordo entre as partes, o juiz que conduziu a audiência propôs os seguintes termos para que as partes assinassem a convenção coletiva ante uma deliberação do TRT;


- reajuste sobre os salários de 7%, retroativo a maio de 2.016;

- reajuste de 8,45% sobre os pisos salariais, retroativo a maio de 2.016;

- reajuste de 7% sobre todas as clausulas de natureza econômica, retroativo a maio de 2.016;

- manutenção de todas as clausulas conquistadas pelos radialistas e existentes na Convenção Coletiva anterior;

- pagamento das diferenças salariais em até 03 parcelas a partir de fevereiro de 2.017.

Como a proposta foi recusada pelos patrões, o dissídio segue para julgamento sem data definida desta ação.





Pipocam insatisfação nas emissoras de Rádio e TV pela exploração dos patrões contra os radialistas

Gravura reprodução


Por Ronaldo Werneck


Em Assis, cidade do interior paulista, a Rádio Cultura está sem pagar salários desde dezembro, o décimo terceiro salário e sem pagamento do vale alimentação aos seus trabalhadores. 

Em Marília, canal TV Marília, salários atrasados desde outubro, não pagam a participação nos resultados, e os salários quando pagos, vem picados, conforme o humor do patrão. Trabalhadores se organizaram com o sindicato e já foi protocolado estado de greve. 

Em São Manuel, cidade da região de Bauru, trabalhadores da Rádio Clube estão com pagamentos atrasados, sem pagamento dos tickets e a participação nos resultados. Paciência é a lorota que falam para os trabalhadores todos os meses. 

As EPTVs de Campinas, São Carlos, Ribeirão Preto e Varginha (MG) informaram aos trabalhadores que o 14º salário não será pago. Os trabalhadores devem se mexer por conta disso. Enfim, não são as únicas emissoras que vem deixando os trabalhadores insatisfeitos, mas essa paciência vai até quando?

São centenas de emissoras no estado que, de uma forma ou de outra faz descaso com seus trabalhadores. Justamente com quem produz os recursos que o patrão embolsa. A mudança da postura dos patrões só irá mudar, quando os trabalhadores reagirem. Perderem completamente a paciência. 

Agora, reagir de forma emocional não adianta. Fazer beicinho nos corredores, sem estar organizado com o Sindicato, tende a dar de bandeja para os patrões, aquilo que os patrões menos querem, a nossa organização junto com o sindicato.

Se você quer que na empresa onde trabalha a luta por seus direitos saia vitoriosa, o caminho é o sindicato, companheiro. Não tem outra ação com mais chances de vitória do que nossa organização sindical. Pense nisso.