sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Em mais uma abordagem ao dono e apresentador do SBT Sílvio Santos, o Sindicato dos Radialistas insiste na reivindicação de reajuste aos trabalhadores da emissora

Dirigentes sindicais abordam Sílvio Santos na portaria do SBT


Pouco mais de um mês, após primeira abordagem ao dono e apresentador do SBT Sílvio Santos, o Sindicato dos Radialistas repetiu o ato sindical nesta quinta feira (24) na portaria da emissora

Por Ronaldo Werneck

Sem repercussão prática nos salários dos trabalhadores a reivindicação feita pelo Sindicato dos Radialistas a Sílvio Santos, no mês passado, não surtiu efeito.  Nesta quinta (24) os dirigentes voltaram na emissora e repetiram o ato, na qual Sílvio Santos, novamente ao ser abordado parou o carro para conversar com os sindicalistas. O vídeo pode ser visto logo abaixo.

Após esta segunda abordagem informações levantadas pelo blog revelam que o apresentador chamou o vice presidente do SBT José Roberto Maciel e os responsáveis pelo RH da empresa para obter mais informações do porquê providenciais não terem sido encaminhadas em sua emissora.

O fato é que o dono da emissora não está gostando de ser abordado na porta do SBT, ou de que os responsáveis pela área, que decide sobre o reajuste dos salários de seus trabalhadores, continue mantendo, há meses, os trabalhadores sem reajuste. 

No boletim informativo do Sindicato, que pode ser visto logo abaixo, e distribuído aos trabalhadores, bem como a Sílvio Santos, informa que dentre outros problemas enfrentados na emissora é o ticket refeição do SBT, que é o menor dentre as grandes emissoras de TV.

Diversas emissoras de rádio e TV, no interior do estado e na capital, tem feito antecipação salarial para seus trabalhadores. Situação oposta ao que está acontecendo na emissora de Sílvio Santos.

Alegando crise econômica, mas com evolução do faturamento  no setor televisivo de 2015 para cá, o sindicato patronal, que representa todas emissoras de Rádio e TV no estado de São Paulo, rejeitou a contra proposta dos trabalhadores de reajuste, bem como assinatura das demais cláusulas sociais, obrigando o Sindicato dos Radialistas a entrar com Dissídio Coletivo no Tribunal Regional do Trabalho em São Paulo.



Vídeo em que dirigentes sindicais abordam, novamente,
 Sílvio Santos na portaria da emissora
  

Boletim informativo do 
Sindicato dos Radialistas de São Paulo

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Mês da Consciência Negra é mote para ação política na categoria dos Radialistas



Por Arnaldo Marcolino


Chegamos, então, em novembro. O “Mês da Consciência Negra”.

Nossa campanha salarial avança sem resultados concretos. Há 6 meses os patrões enrolam a categoria para apresentar uma proposta que foi recusada em nossa última assembleia (05/11), na qual foi revertida numa nova contraproposta aprovada pelos trabalhadores.


A conjuntura nem sempre foi favorável para os trabalhadores assim como, historicamente, nunca esteve para 51% da população brasileira, que se auto declara Negros e Negras.

O Sindicato dos Radialistas do estado de São Paulo convida a todos e todas, a comparecerem na grande Marcha da Consciência Negra, que acontecerá na cidade de São Paulo no dia 20 de novembro, com encontro marcado para às 11 horas, no vão livre do MASP, na Avenida Paulista.

A ideia é conciliar engajamento político com uma coisa clássica bonita e diferente; usar preto como forma de adesão a manifestação da Consciência Negra num dia da semana, a ser anunciado em breve pelo Sindicato.

Preto é clássico, preto é bonito, preto é estilo.

Um dia da semana com todos de preto.


Somando com eles, que lutam pela consciência contra o racismo institucionalizado em nosso país, pois nossa reivindicação é a mesma; nenhum direito a menos. 




Em assembleia Radialistas recusam proposta patronal e aprovam nova contraproposta

Trabalhadores, presentes na assembleia, aprovam contraproposta a ser enviada aos patrões


Por Ronaldo Werneck


No último sábado (05) os radialistas do estado de São Paulo, que compareceram na assembleia extraordinária da campanha salarial, decidiram contra a proposta enviada pelo sindicato patronal e aprovaram uma nova contraproposta, para ser enviada  aos patrões. 

A contraproposta aprovada pelos trabalhadores é a seguinte;

- Reajuste de salário com índice de 8%, com 7% retroativo a maio de 2016 e 1% em janeiro de 2017.

- Pisos salariais: reajuste de 9,5%, 8,5% retroativo a maio e 1% a partir de janeiro de 2017.

As demais cláusulas econômicas deverão ser reajustadas em 9,83%, retroativo a maio de 2016.

Participação nos Resultados e Abono Salarial de 50% do salário base a ser pago em maio de 2017. Sendo que o reajuste, em seus limites máximo e mínimo, com índice de 9,83%.

Os trabalhadores presentes na assembleia também aprovaram aceitar do patronal que as cláusulas sociais da CCT - Convenção Coletiva de Trabalho, perdurem por até dois anos. Dessa forma as cláusulas de natureza econômica serão negociadas em 2017.

Dessa forma, a contraproposta aprovada, apesar de não ser aquilo que os trabalhadores queriam, como decidido em assembleia anterior, é menos prejudicial do que a proposta que os patrões apresentaram da última vez. 

A contraproposta segue para avaliação e aprovação do sindicato patronal que, caso seja aceito, deverá ser observado por todas empresas de radiodifusão no estado de São Paulo.

Com informações da assessoria de imprensa do Sindicato dos Radialistas do estado de SP.