sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Radialistas de São Paulo elegem nova diretoria sindical para o triênio 2016-2019

Urnas usadas para recolhimento dos votos dos radialistas


Por Ronaldo Werneck


Com grande participação da categoria os Radialistas de São Paulo elegeram nos dias 27, 28 e 29 de setembro a nova diretoria do Sindicato dos Radialistas de São Paulo para o triênio 2016-2019. Foram 1839 cédulas em 18 urnas, recolhidas na categoria com 1810 votos na chapa 1, única inscrita para o pleito. 

A apuração ocorreu na noite desta quinta feira (29) com a presença dos companheiros da Intersindical e de diversas categorias como Previdenciários (SINSPREV), Carteiros de Campinas, MST, Ferroviários de Bauru,  Sapateiros de Franca, Metalúrgicos de Campinas, Santos e Limeira, que apoiaram na organização, recolhimento  e apuração dos votos.

As urnas percorreram emissoras de Rádio e TV da capital e do interior, além de uma urna, que esteve a disposição da categoria na sede da entidade.

Com renovação de 1/3 de integrantes, a nova diretoria tem um árduo trabalho de organização e luta junto com os radialistas paulistas, frente à uma conjuntura de ataque aos direitos dos trabalhadores.

Em breve a relação de nomes e formas de contato, de toda a diretoria eleita, estará a disposição no site para a categoria.



Radialistas de São Paulo elegem nova diretoria sindical para o triênio 2016-2019

Urnas usadas para recolhimento dos votos dos radialistas


Por Ronaldo Werneck


Com grande participação da categoria os Radialistas de São Paulo elegeram nos dias 27, 28 e 29 de setembro a nova diretoria do Sindicato dos Radialistas de São Paulo para o triênio 2016-2019. Foram 1839 cédulas em 18 urnas, recolhidas na categoria com 1810 votos na chapa 1, única inscrita para o pleito. 

A apuração ocorreu na noite desta quinta feira (29) com a presença dos companheiros da Intersindical e de diversas categorias como Previdenciários (SINSPREV), Carteiros de Campinas, MST, Ferroviários de Bauru,  Sapateiros de Franca, Metalúrgicos de Campinas, Santos e Limeira, que apoiaram na organização, recolhimento  e apuração dos votos.

As urnas percorreram emissoras de Rádio e TV da capital e do interior, além de uma urna, que este a disposição da categoria na sede da entidade.

Com renovação de 1/3 de integrantes, a nova diretoria tem um árduo trabalho de organização e luta com os radialistas paulistas, frente à uma conjuntura de ataque aos direitos dos trabalhadores.

Em breve a relação de nomes e formas de contato, de toda a diretoria eleita, estará a disposição no site para a categoria.



domingo, 25 de setembro de 2016

Sindicato dos Radialistas de São Paulo realiza eleição nos dias 27, 28 e 29 de setembro

Ilustração: SIGMUC


Por Ronaldo Werneck


A partir desta terça feira (27) até quinta feira (29), o Sindicato dos Radialistas do estado de São Paulo estará realizando eleições para composição da nova diretoria sindical no triênio 2016-2019. 

A eleição terá urnas fixas em algumas empresas e itinerantes, que percorrerão empresas da capital e de cidades do interior. Estarão aptos a votarem na eleição os trabalhadores sócios da entidade há, no mínimo, seis meses de sindicalização. Para isso basta apresentar a identificação sindical ou documento com foto.

Com chapa única inscrita e composta por 36 integrantes, os membros da Chapa 1, são radialistas de empresas de rádios e TVs no estado de São Paulo, tanto da capital como do interior. A renovação do quadro atual se dará em um terço da chapa eleita em 2013.

Com o desafio de dar continuidade a postura de independência de patrões e de governos, a nova diretoria tem pela frente a batalha de organizar a luta dos radialistas contra a intransigência dos patrões e a dificuldade de mobilizar a categoria, frente aos desafios de uma conjuntura que se apresenta de ataque aos direitos dos trabalhadores.

Sem reajuste salarial, o não pagamentos de duplo contratos, horas extras, os acúmulos de funções, as péssimas condições de trabalho, o avanço da satelitização, a terceirização na categoria e contratações  sem o registro profissional, dão um "traço" dos desafios que os radialistas tem enfrentado e deverão enfrentar, de ataques aos seus direitos, na qual a chapa eleita terá esse compromisso de superação com a categoria.

A Chapa 1 já distribuiu material informativo na categoria com fotos de seus integrantes, bem como histórico de luta e organização de membros da atual diretoria, que darão continuidade a luta no mandato que seguirá, após realização do pleito.

Se você é sócio do Sindicato, participe ativamente não só votando, mas convidando companheiros, na mesma situação, a fazerem o mesmo. Participando desse processo eleitoral, com força e organização, também é uma forma de darmos um recado aos patrões, de que o sindicato continua sendo seu instrumento de luta. E trégua nenhuma será dada, principalmente na defesa de direitos conquistados e no avanço de novas conquistas.


SERVIÇO

Locais das urnas fixas;

- Sede do Sindicato dos Radialistas
- Rádio e TV Cultura
- TV SBT
- TV Globo
- Rádio e TV Record
- TV Ômega - Rede TV
- Rádio e TV Bandeirantes

Além das urnas fixas, as urnas itinerantes estarão percorrendo as diversas empresas nas cidades do interior. Para saber quais empresas as urnas estarão passando, entre em contato com o representante do sindicato de sua região ou ligue na sede da entidade; 11 3145 9999.

Com informações do site do Sindicato.


quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Dia 21 de setembro, o dia do Radialista



Por Ubiratan Lustosa

Durante muito tempo o Dia do Rádio, ou da Radiodifusão, e o Dia do Radialista foram comemorados juntamente, em 21 de Setembro que é também o Dia da Árvore. A celebração teve início em 1945, quando um decreto assinado pelo presidente Getúlio Vargas fixou os níveis mínimos de salário dos trabalhadores em empresas de radiodifusão.

Nos anos 80, por ocasião do IV Congresso Brasileiro de Radiodifusão, realizado na Bahia, os proprietários de Emissoras decidiram estabelecer uma data para comemorar em separado O Dia da Radiodifusão. Escolheram 25 de Setembro, pois nesse dia nasceu Roquette Pinto. 

Edgard Roquette Pinto, médico, antropólogo e professor, nascido em 1.884, fundou a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, em 21 de abril de 1.923. 


Dessa forma, passamos a comemorar em 21 de Setembro o Dia do Radialista e em 25 desse mês o Dia do Rádio, ou da Radiodifusão.

Mais recentemente, em decreto assinado pelo Presidente Lula, foi instituído no calendário de efemérides nacionais o Dia do Radialista a ser comemorado em 7 de Novembro, data de nascimento do compositor, músico e radialista Ary Barroso.

Costumes não se criam por decreto e em razão disso continuo recebendo e enviando cumprimentos na data original da qual todos os radialistas gostam: 21 de Setembro.


Na verdade, a Radiodifusão é de importância imensurável. E o homem de Rádio que leva a sério a sua profissão, que nela crê e a ela se dedica, presta um serviço de inestimável valor à coletividade e faz jus a essas comemorações.

Seja na informação precisa e imediata, seja no aviso de utilidade pública, seja no lazer proporcionado pelos programas que divertem e deleitam, seja na orientação dada, na cultura difundida, na transmissão dos eventos esportivos, seja nas mensagens de paz e amor e fraternidade, o profissional de Rádio presta um grande serviço à nação.

E não são apenas os locutores, os comentaristas, os noticiaristas, os repórteres, aqueles apresentadores que vocês ouvem, que desempenham papel importante na Radiodifusão. Há todo um exército de pessoas cujos nomes vocês nem conhecem, cuja voz vocês nunca escutam e que estão dia e noite, domingos e feriados, trabalhando para que a Emissora possa fazer suas transmissões. São os proprietários e diretores das empresas de radiodifusão, os técnicos, os operadores, o pessoal da área artística, os redatores e produtores, os integrantes do setor comercial e da administração, muita gente mais, compondo uma colmeia que não pára, que trabalha, produz e realiza, fazendo-se merecedora de admiração e respeito.


No dia 21 saudamos os radialistas. No dia 25 homenageamos os radiodifusores, os proprietários de Emissoras. É muito grande a sua luta, são enormes os investimentos necessários, não é fácil a seleção de profissionais, são preocupantes as despesas enormes que se repetem todos os meses.

Com tantos compromissos, não foram poucos os que desistiram
no
meio da jornada.

Recebam nosso abraço, heroicos radialistas e radiodifusores.
Recebam a nossa homenagem e os nossos votos de sucesso.


Fonte:
Do livro
"NOSSO ENCONTRO COM UBIRATAN LUSTOSA" - 2a. Edição
Instituto Memória Editora - www.institutomemoria.com.br
Mais informações:
http://www.institutomemoria.com.br/detalhes.asp?id=176 

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Dia de luta leva trabalhadores a ocupar agências do INSS e do Ministério do Trabalho

Trabalhadores reunidos em ato, em frente à agência do Ministério do Trabalho em São Paulo


Por Ronaldo Werneck


Em diversas agências do INSS e do Ministério do Trabalho nesta quarta feira (14) trabalhadores de várias categorias, organizadas pela Intersindical, fizeram ocupações e atos político contra reforma da previdência e trabalhista do governo Temer-PMDB, que vem sendo anunciada pela mídia corporativa.

Radialistas, metalúrgicos, funcionários públicos, têxteis, químicos, trabalhadores dos correios, professores de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso participaram ativamente com assembleia com os trabalhadores atendidos nas agências, faixas, panfletagem de material informativo e carro de som.

As ocupações consistiram em alertar e esclarecer a população das medidas anunciadas como reforma, mas que na verdade é o desmonte do sistema previdenciário e de fiscalização do Ministério do Trabalho. 

A proposta do governo Temer é reduzir salários, eliminar direitos trabalhistas, aumentar o tempo para aposentadoria, além de aumentar a jornada de trabalho. Tudo isso para atender a pauta dos patrões.

O ato realizado serviu como preparativo na construção da greve geral, que vem sendo discutido e organizado pela classe trabalhadora.

Somente a conscientização e mobilização dos trabalhadores é que pode fazer com que os ataques, que vem sendo germinado no seio deste governo ilegítimo e de compromisso com os patrões, possa ser interrompido.

Fotos do ato realizado na cidade de São Paulo pode serem vistas aqui.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Após seis dias de greve trabalhadores da RTV Cultura aprovam proposta construída em audiência no TRT



Registro da audiência no TRT-2, com trabalhadores RTV Cultura acompanhando a negociação


Por Ronaldo Werneck 

Em audiência ontem (13) no Núcleo de Conciliação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), o Sindicato dos Radialistas e Jornalistas, ambos do estado de São Paulo, acataram  o acordo proposto pela mediadora da justiça com a Fundação Padre Anchieta (FPA) de estabilidade no emprego até o dia do julgamento, não desconto dos dias parados, empenho da direção da empresa em agendar participação dos Sindicatos na próxima reunião do Conselho Curador, além julgamento do dissídio.

A empresa, que compareceu no TRT, sem uma proposta concreta acabou tendo de aceitar a proposta da juíza, que mediou a negociação e que foi encampado pelos sindicatos.

O argumento principal por parte dos representantes da direção da empresa e da Procuradoria Geral do Estado (PGE) é de que a Fundação Padre Anchieta está proibida de fazer qualquer aporte financeiro na folha de pagamento, determinado por decretos do governador Geraldo Alckmin (PSDB), devido a crise econômica que passa o país.


Em assembleia radialistas e jornalistas ratificam acordo com direção da empresa

A representante do judiciário, mesmo forçando a empresa a fazer uma proposta e não conseguindo, encaminhou a demanda para uma relatora, que irá agendar julgamento da greve e do dissídio, onde os trabalhadores acumulam perdas salariais desde 2013.

Também foi estabelecido no acordo, proposto pelo Tribunal, empenho da direção da empresa de construir uma emenda parlamentar, junto com os Sindicatos, de dotação orçamentária para FPA,  retorno ao trabalho nesta quarta feira (14), mantendo o estado de greve, com duas assembleias semanais até decisão judicial no julgamento da greve. As assembleias acontecerão todas as quartas feiras, às 13h00 e 16h00, em frente da emissora.








terça-feira, 6 de setembro de 2016

Radialistas e Jornalistas da Rádio e TV Cultura decidem entrar em greve

Trabalhadores da RTV Cultura em assembleia decidem pela greve na emissora


Por Ronaldo Werneck

Nesta segunda feira (05), em assembleia de dois turnos, os trabalhadores, radialistas e jornalistas, das emissoras da Fundação Padre Anchieta, Rádio e TV Cultura, decidiram entrar greve a partir da primeira hora da próxima quinta feira (08), depois de dois meses de intensas negociações com a direção da empresa. Isso se deu por conta da mesma não apresentar uma solução satisfatória para os trabalhadores das duas categorias.

Segundo Sérgio Ipoldo, diretor coordenador do Sindicato dos Radialistas de São Paulo, a empresa alega que durante os últimos anos, desde 2013, estava reconhecendo a Convenção Coletiva de Trabalho da categoria por mera liberalidade. E que não o está fazendo mais devido a Lei de Responsabilidade Fiscal que, através do CODEC (Conselho de Defesa dos Capitais do Estado), que é o órgão de assessoramento político/administrativo do governo estadual, relacionado a capitais e gerenciamento financeiros de empresas estaduais ou ligadas ao estado, não tem autorizado aprovação das demandas reivindicadas pelos trabalhadores da emissora.

Porém a direção da RTV Cultura apenas informa que o CODEC não autoriza, sem levar ou se quer discutir com o órgão as reivindicações apresentadas pelos trabalhadores.

Justiça
Ao longo dos últimos anos os trabalhadores já entraram em greve em diversas ocasiões enfrentando o mesmo problema, sendo que em duas demandas, levadas à Justiça, os trabalhadores acabaram sendo derrotados. Isto porque o TRT - Tribunal Regional do Trabalho - entendeu que a emissora cumpre a legislação no que concerne a observância da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Radialistas e Jornalistas já apresentaram a empresa uma proposta conjunta de nova data base dos trabalhadores da emissora, sendo o mês de julho. E que a pauta apresentada a direção da emissora, contempla ambas às convenções coletivas das duas categorias.

É fato que a empresa, ao se orientar pelo CODEC, em não atender as reivindicações dos trabalhadores, também não leva ao órgão governamental o que os trabalhadores exigem, que é a reposição das perdas salariais, além de benefícios históricos conquistados ao longo dos anos. O estranho nesta história é que há um histórico de negociações diretas do CODEC com outras categorias ligadas às empresas do estado, mas que no caso da RTV Cultura, a direção da emissora nunca apresentou esta proposta de construção de entendimento.

Sabendo que a Justiça determina que, para julgamento da causa, deve haver mútuo acordo no reconhecimento e observância antecipada, do que o TRT decidir, coisa que a direção da emissora tem se negado. Ora, sem a concordância da RTV Cultura, o Sindicato dos Radialistas não pode levar à Justiça sabendo, antecipadamente do resultado da decisão, que será negativa aos trabalhadores. Resta, então, aos trabalhadores forçar esta negociação no TRT através da greve, que é uma outra condição que a Justiça pode julgar, sem a necessidade de consentimento por parte da direção da empresa.

Radialistas e Jornalistas, agora juntos, irão entrar em greve para que seja encontrada uma solução que atenda as reivindicações das duas categorias, que há anos tem sido desrespeitadas pela direção da RTV Cultura, com alegação de que não é de sua responsabilidade atender as pautas econômicas apresentadas pelos trabalhadores.