terça-feira, 22 de março de 2016

Radialista sindicalizado tem mais força


Brinde da Campanha de Sindicalização


Por Ronaldo Werneck

O Sindicato dos Radialistas do estado de São Paulo intensifica sua Campanha de Sindicalização nas empresas de Rádio, TV e produtoras de áudio e vídeo neste ano. 

Um dispositivo conquistado em convenção coletiva, leva diretores e funcionários do Sindicato dos Radialistas a estarem dentro das empresas de radiodifusão para conversar com os trabalhadores e sindicalizá-los. Esta condição deve ser previamente agendada. Assim é possível, pessoalmente, estar presente dentro das emissoras e a disposição dos trabalhadores para conversar assuntos de seus interesses. Além de convidá-los a somar força em sua entidade de classe se sindicalizando.

Trabalhador sindicalizado tem mais força, pois ao dar autonomia financeira e política ao seu sindicato, garante que sua categoria tenha assistência política e jurídica, de uma entidade de classe, que visa unicamente defender os interesses dos trabalhadores da categoria.

Algumas empresas restringem a presença do sindicato ao não permitir que os diretores entrem nas empresas. Apesar de que isso não seja uma regra. As empresas onde o sindicato tem sua entrada barrada, é solicitado que a empresa providencie um quadro de aviso, com vidro e chave e de acesso apenas para material do sindicato. Assim, mesmo os trabalhadores, que não tiverem a oportunidade de receber o material informativo das mão de alguém do sindicato, pode conferir no quadro de aviso da entidade sindical, dentro da empresa, em local visível e de livre acesso. Essa condição também está prevista em Convenção Coletiva de Trabalho da categoria.

Ao ver alguém do Sindicato dos Radialistas dentro da empresa onde trabalha, procure-o para se informar mais sobre a sindicalização. 

Brinde da Sindicalização

Neste ano de 2016, os trabalhadores que se tornarem sindicalizados, recebem um brinde; uma carteira de sócio personalizada. Os brindes também são destinados para quem já é sócio da entidade. Se você é um deles, procure o dirigente e mostre sua identificação sindical. Caso não tenha ou esteja desatualizada, preencha o formulário para recadastramento e lhe será fornecido, sem custo adicional algum.

segunda-feira, 7 de março de 2016

Boas mulheres são aquelas que vão para o céu. As outras, vão a luta.



Por Ronaldo Werneck

Chega o dia 8 de março e, como todos os anos, os movimentos sociais, políticos e sindicais fazem referência do dia, alusivo a luta das mulheres pela sua emancipação, uma data para comemorar e protestar. É o Dia Internacional da Mulher.

Necessário dizer que, a despeito da data comemorativa darem como origem a partir de uma greve ocorrida em 1857, quando teriam morrido 129 operárias queimadas vivas na cidade de Nova York, nos Estados Unidos, o Núcleo Piratininga de Comunicação, do Rio de Janeiro, lança uma cartilha onde descreve, historicamente, que o Dia Internacional da Mulher tem origem socialista, e que a data 8 de março foi fixada a partir de uma greve iniciada em 27 de fevereiro (calendário russo) de 1917, na cidade de Petrogrado, atual São Petersburgo, na Rússia, na qual culminou com a primeira fase da Revolução Russa.

Embora grande parte das pessoas atribuam a data do dia 8 de março, como sendo alusivo a luta das mulheres por igualdade de direitos, de gênero, é necessário lembrar que, não foi apenas a data, que foi oriunda da Revolução Russa. A União das Repúblicas Socialistas Soviéticas deram um passo gigantesco à diversas conquistas para a Mulher, que beneficiou toda sociedade humana no planeta. 

Após a conquista do poder na Rússia os sovietes implementaram, legalmente, a igualdade salarial entre homens e mulheres. A Mulher pôde, então, frequentar universidades e clubes de recreação. A constituição soviética garantiu para as mulheres desfrutar dos mesmos direitos garantidos aos homens, nos campos da vida econômica, educacional, social, cultural e política.

Mesmo que, com tantos avanços, as mulheres continuam sendo vítimas do sexismo por parte dos homens. Antes se falava em dupla jornada de trabalho, quando estas eram responsáveis por ajudar no sustento do lar e cuidar dos afazeres domésticos. Isto comumente encontrado na na maioria dos lares das mulheres trabalhadoras. Mas urge dizer que seu comprometimento vai além. 

Mulher trabalhadora, profissional, dona de casa, mãe de seus filhos e amante de seu companheiro, extrapola e muito sua responsabilidade, que deveria ser compartilhada com seu companheiro e demais familiares. Num inequívoco e necessário rompimento, com a forma cultural como homens e mulheres são educados, desde sua infância, a comemoração do Dia Internacional da Mulher é um chamado a conscientização de todos e da necessidade de vermos em nossas mulheres os direitos e a igualdade de gênero que elas tanto merecem.

Romper paradigmas culturais e rever conceitos é uma forma de se avançar nesta questão. Pense nisso.



terça-feira, 1 de março de 2016

Radialistas São Paulo se reúnem em assembleia na abertura da Campanha Salarial

Plenária de uma das Assembleias dos Radialistas de SP 

Por Ronaldo Werneck

No próximo dia 5 de março (sábado) os radialistas de São Paulo estarão se reunindo para definir a pauta de reivindicações, que será levada para negociar com os patrões. Os sócios do Sindicato dos Radialistas também irão analisar as contas da entidade. 

Serão duas assembleias distintas, que acontecem no mesmo dia, uma seguida da outra. Sendo que, a da Campanha Salarial, todos os trabalhadores de empresas de rádio, TV e produtoras de TV no estado de São Paulo podem participar, sem distinção. Já para assembleia orçamentária, onde a diretoria faz sua prestação de contas, os trabalhadores sócios serão identificados e poderão participar da assembleia através das discussões e do voto. Pois somente os sócios, segundo o estatuto da entidade, podem deliberar sobre assuntos relativos à condução da entidade, seja nas eleições, seja na aprovação ou rejeição das contas.

Neste final de 2015 e início de 2016 temos acompanhado o movimento com que os patrões tem feito nas empresas, ora precarizando ainda mais o trabalho, ora demitindo os trabalhadores. Apesar de nosso avanço em nossa organização em várias empresas no estado, não podemos deixar de estar alerta. É possível barrar o ataque dos patrões e avançarmos em nossos objetivos. E o caminho para isso é nossa organização no sindicato. Trabalhador organizado no sindicato, avança em suas conquistas.

As assembleias, que acontecerão no próximo dia 05, vão ser o "punta pé" de nossa Campanha Salarial. Trabalhadores da cidade de São Paulo, bem como de diversas cidades do interior, estarão juntos, discutindo e aprovando deliberações que tem quase tudo a ver com a vida dos radialistas do estado de São Paulo.

Reajuste salarial, aumento de salário, benefícios econômicos e sociais... tudo isso fazem parte de nossas discussões e será ponto de pauta para discussão e aprovação. Não deixe de ir e venha contribuir com suas ideias. Certamente, quando mais participação tivermos, mais força teremos em nossa luta.

Serviço:
Assembleia dos Radialistas de São Paulo

Data:      05/03/2016 
Local:     Sindicato dos Radialistas de São Paulo
                Rua Conselheiro Ramalho n. 992
                Bairro Bela Vista (Bixiga) - próximo à Av. Brigadeiro Luís Antonio
                São Paulo -SP 
Horário: a partir das 9h00