sexta-feira, 13 de junho de 2014

Radialistas continuam em estado de greve, mas negociações continuam.


Assembleia dos Radialistas de São Paulo na última quarta feira. 


Por Ronaldo Werneck

Nova contra proposta será levada aos patrões

Não houve interesse dos radialistas presentes na assembleia em aceitar as migalhas que os patrões nos propuseram. Como ainda há possibilidades de negociar, a diretoria foi autorizada pela assembleia a continuar a peleja nas rodadas de negociação.

Nesta condição a diretoria já se antecipa e começa a convocar os trabalhadores para a assembleia, que deverá ocorrer no dia 28 de junho. Portanto companheiro, se vc estiver em condições de trocar sua escala de trabalho e se organizar para folgar nesta data, não perca tempo. Fale com os demais companheiros e compareça. Procure o dirigente de sua região e manifeste o interesse de participar. 

Sua participação é muito importante e com ela, podemos decidir democraticamente a melhor proposta a ser apresentada.

terça-feira, 10 de junho de 2014

Assembleia decisiva dos Radialistas decide por greve ou não durante a Copa

Foto da última assembleia no Sindicato dos Radialistas (31/06/2014)

Próximo dia 11, quarta feira, às 20h00, na sede do Sindicato dos Radialistas, trabalhadores da categoria dos radialistas do Estado de São Paulo decidem se aceitam a contraproposta patronal ou caminham para greve.


Durante o mês de maio e, tradicionalmente no mês de junho, sindicato patronal e dos trabalhadores das empresas de rádio e TV e produtoras no Estado de São Paulo negociam pautas reivindicadas pelos trabalhadores em sua Convenção Coletiva de Trabalho. Vale Alimentação, Vale Refeição, Participação nos Resultados, abono, Vale Cultura, além da reposição salarial e aumento real de salário, fazem parte de uma lista com diversas outras reivindicações na qual os patrões empurram pela barriga sua decisão. 

Historicamente, o que tem feito os patrões se sensibilizarem é a mobilização da categoria. Mas por conta da alta rotatividade de trabalhadores, a vida dedicada assuntos, que não se relacionam com o trabalho, os trabalhadores demoram a se conscientizar de seu compromisso com a profissão e sua classe. Num universo de pouco mais de 20% de sindicalizados os radialistas sofrem todo tipo de ataque dos patrões sem terem consciência de que isso só ocorre por conta da imobilização da categoria.

Neste ano, especialmente, teremos a Copa do Mundo de Futebol no Brasil. As empresas de Rádio e TV e também as produtoras, que produzem programas, inserções comerciais, estão faturando alto. Nada mais natural de "dividirem o  bolo", não?! Errado. Os patrões não dividem nem o cabelo, muito menos a riqueza que despejamos em seus colos. Por isso, a diretoria do Sindicato dos Radialistas de São Paulo tem se empenhado em mobilizar a categoria para essa assembleia, inclusive dentro das empresas, para que os patrões entendam o recado; se não atenderem nossas reivindicações, há grande chance de algumas emissoras entrarem em greve. Agora, imaginem isso durante a Copa do Mundo... As cotas vendidas pelas empresas de TV são bilionárias, com certeza, valor que supera o pagamento de salários, com reajustes e aumento real, durante o ano todo. Se elas preferirem apostar de que os radialistas não irão parar, melhor elas fazerem "figa", pois devem se preocupar pensando qual das emissoras poderá ser a primeira?!

Neste sábado, dia 11, todos os trabalhadores da categoria dos radialistas do Estado de São Paulo tem de comparecer em peso na assembleia, pois é lá que se decide todas as questões. A assembleia é soberana e, junto com o movimento social organizado, teremos mais força para que possamos dar visibilidade a nossa paralisação.

Acompanhe no vídeo abaixo momento histórico de nossa categoria, quando os patrões duvidaram de nossa força;